Como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer?

Quando a pessoa está com câncer, ela precisa se tratar, a fim de resolver o problema. No entanto, dentre os tratamentos, um que chama bastante a atenção é a radioterapia. Quanto a isso, você já parou para se perguntar como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer?

Esse é um assunto que causa certos desentendimentos. Afinal de contas, como é possível usar radiação para tratar alguém? É muito comum ouvir falar que elas são responsáveis por gerar má formação e vários outros problemas. Então, como no caso do câncer, ela pode ser benéfica?

Por essa razão, grande parte das pessoas procuram saber como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer. E isso é compreensível. Afinal de contas, antes de passar por qualquer exame ou tratamento, é normal que você queira saber o que vai ser feito.

Trata-se de uma forma de se sentir mais seguro a respeito do processo. Com certeza você não vai querer passar por algo que sabe que tem riscos, que não é tão seguro. Então, como se fala que a radiação pode causar malefícios no corpo humano, como ela pode apresentar benefícios no combate ao câncer?

Mas, para que você saiba como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer, é preciso avaliar alguns pontos. Esse assunto é mais complexo e amplo do que você talvez esteja imaginando. Há mais de uma forma de radiação, onde cada uma é capaz de fazer o nosso corpo reagir de um jeito.

Sendo assim, para que você possa entender melhor essa questão, há algumas coisas das quais você deve saber. Então, para saber mais a respeito sobre como a radiação pode ser benéfica no combate ao câncer, é só continuar nesse artigo. 

O que é radioterapia?

Ela é a responsável por gerar radiação, a qual se usa para combater o câncer. Esse é o nome da técnica. Em suma, é um tratamento local do câncer. Nos dias de hoje, cerca de 60% dos pacientes com algum tipo de tumor recorrem à radioterapia.

No entanto, ainda que a radiação seja benéfica para combater a doença, pode-se usar essa técnica de maneira isolada ou em consonância com uma outra. A fim de tratar o câncer, há várias opções terapêuticas que auxiliam no combate.

E isso acontece porque cada câncer é único, ou seja, possui as suas próprias características. Em virtude disso, ainda que a exista tipos de quimioterapia que sejam eficaz, certos tipos de câncer podem resistir ao tratamento. Dessa forma, há necessidade de optar por um outro tratamento.

E, hoje, a radioterapia tem se mostrado muito eficaz para tratar a doença. No entanto, você precisa saber que nem todas as radioterapias são iguais. Há vários tipos de radiação, onde cada uma é mais eficaz em diferentes contextos.

Sendo assim, antes de uma pessoa passar por esse procedimento, o médico precisa avaliar a questão e averiguar se, de fato, a radioterapia é a mais indicada. Se sim, haverá um estudo para definir a qual tipo de radiação o paciente será exposto.

Como é a radioterapia?

Para que você consiga entender como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer, é importante que você entenda como ela é feita. Primeiro, é preciso entender qual é o tipo de radiação que esse tratamento emite.

Trata-se de radiação ionizantes, que visam destruir ou inibir que as células cancerígenas cresçam. Não são iguais às radiações de indústrias, por exemplo. São mais específicas para essa finalidade. É claro que ocorrem algumas reações, haja vista que é um procedimento um tanto intenso.

Mas, no geral, há vários benefícios que essa técnica proporciona. Contudo, antes de fazer esse procedimento, o médico tem que fazer um exame de imagem. Nele, delimita-se a área que precisa de tratamento. 

Isso é de grande importância para que os raios atinjam apenas o local marcado e, assim, evita atingir outras áreas. Porém, há duas formas de aplicar essa técnica, de acordo com o local onde o tumor se encontra. Os tipos são os seguintes:

  • Radioterapia externa ou teleterapia: a emissão da radiação é feita por um aparelho, o qual fica afastado do paciente, mas direcionado ao local demarcado. Nesse caso, a aplicação tende a ser diária.
  • Braquiterapia: é quando os aplicadores são feitos pelo médico, em contato com o local que precisa de tratamento. Nesse caso, pode precisar de anestesia e, portanto, é feito de uma a duas vezes por semana.

Saiba como é a dor de câncer no intestino

Como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer?

Você já entendeu um pouco mais sobre o assunto, mas, e agora, como que essa radiação é benéfica no combate do câncer? Isso acontece porque a radiação ionizante danifica o DNA das células. Ou seja, elimina o tumor e impede que ela se multiplique.

Mas isso também não danifica as células saudáveis? Sim. No entanto, as células normais têm a capacidade de se recuperar, o que já não acontece com as células tumorais. É por isso que no decorrer do tratamento a pessoa pode se sentir um pouco cansada, mas isso tende a diminuir quando se faz a última sessão.

Isso quer dizer que o dano sobre as células tumorais em relação às normais é muito maior, uma vez que há menor capacidade delas de recuperação. Fora isso, devido às novas tecnologias, os médicos podem direcionar os raios para o local preciso.

Ou seja, ao fazer isso, atinge em menos abundâncias as células normais, fazendo com que o tecido permaneça saudável. Com isso, o paciente tem menos reações adversas e, ao ter, é em um nível muito menor. 

Quais são os efeitos da radioterapia?

Você já entendeu como a radiação é utilizada para o tratamento de câncer. Mas, e em relação aos efeitos adversos? Afinal de contas, como você pôde ler, trata-se de um procedimento que também afeta as células normais, mesmo que pouco. A radioterapia pode sim ocasionar em alguns efeitos, sendo eles:

  • Diferença no ritmo intestinal;
  • Mudança na pele;
  • Cansaço;
  • Perda do apetite;
  • Dificuldade em ingerir alimentos.

No entanto, como é um procedimento com muitos pontos positivos, ele continua sendo uma das melhores opções. Fora isso, as sessões são curtas, não precisam de internação e ainda contribui para a qualidade de vida em pacientes onde o câncer não tem mais cura.